sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Não te prometo nada.



Não, não vou te jurar amor eterno. Amor eterno me parece tão clichê. Também não direi que vai ser pra vida inteira, porque se caso não for, como vai ficar minha palavra depois disso.

Acho que devíamos ir devagar, ir avaliando as situações, vendo os caminhos melhores para nós dois, e não o mais curto para se chegar ao amor. Deveríamos ir seguindo sem promessas, sem juras de amor eterno.

Eu não prometo te amar, e você não promete me amar também, e com o tempo, com a nossa determinação e atenção, seguindo em um tom quase que em uníssono, nós possamos até descobrir no futuro que nos amamos.

Não te direi que vou te amar pra vida inteira, a vida inteira é tempo demais. Vamos fazer o seguinte, a gente tenta até amanha, e depois até segunda feira, e vamos deixando a nossa vontade de permanecermos juntos mostrar até onde iremos...





"Eu não estou pedindo a sua permissão para ficar. Não estou pedindo o seu melhor, nem questionando o seu pior. Não estou dizendo que vou chegar, bagunçar, permanecer, arrumar, bagunçar de novo e assim em diante. Não digo que vou marcar a sua vida, a sua história, o seu coração. Eu não digo nada. E prefiro não dizer. É complicado falar em excesso e pouco cumprir. Entre tudo o que eu poderia te prometer e oferecer. Prometo ficar, mesmo que a minha presença não te agrade. E te ofereço o meu melhor enquanto estiver aqui. Não peço a sua permissão para ficar, porque quem quer ficar, fica. E eu quero, e muito. Eu não estou te pedindo nada, além dá chance de mostrar que eu posso fazer a diferença, mesmo quando todos parecerem iguais. A escolha é sua, mas a chance é nossa."
Allax Garcia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário